quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Capítulo 41: Aprendendo a aceitar a escolha do fim.

"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram"

Gloria Hurtado 

-----------------------------------------------------------

Fiquei na dúvida sobre o título que daria a este capítulo, se este que lhes foi apresentado ou "a decisão". Em todo o caso, não quero fazer um post de despedida (ainda), mas sim compartilhar o momento em que decidi colocar um ponto final ao intercâmbio e os motivos disto. Não falarei em geral sobre encerrar o intercâmbio, falarei sobre a minha experiência, a qual acredito que pode servir de melhor exemplo e inspiração para pessoas em situações parecidas.

Mas aí, antes de tudo, você me pergunta:

- Thiagão, você vai me trazer umas lembrancinhas daí?

E eu respondo:

- Não!

Pois bem, após muito pensar, refletir, ponderar, conversar, orar, pensar mais um pouco e ficar na dúvida, decidi voltar ao Brasil. Pois é, pessoal. Em tempos de "VEM PRA RUA", o povo irlandês lançou uma forte campanha para mim, no caso "VOLTA PRA CASA!". E para alegria geral da nação irlandesa e tristeza geral da nação brasileira, estarei de volta à São Paulo em outubro.


Quando vim para Dublin fazer o intercâmbio tinha o plano de ficar seis meses, sendo estes prorrogáveis ou não, dependendo da minha situação. Lembro que em meados de maio, tive uma conversa com meus pais na qual eu falava que estava pensando em retornar em junho ou julho, após o término das minhas aulas, pois a situação estava difícil e eu não conseguia emprego. Porém, o namoro teve um grande peso na escolha de continuar minha vida aqui por mais um tempo, além é lógico de viagens planejadas e um emprego que havia conseguido no final do mês de maio.

Morar fora do país, ainda mais na Europa é algo que serei eternamente grato pelo privilégio, mas foi ótimo para perceber que os problemas e as dificuldades continuam presentes, apesar de por vezes se apresentarem de maneiras diferentes. Não consegui um emprego fixo aqui, e sim trabalhos temporários, bicos aqui ou ali, os quais me sustentavam para o próximo mês, mas nunca me davam a certeza de um futuro ou de uma possível renovação do visto. O mês de julho foi o pior mês (ou o menos legal) aqui, pois não estava sendo chamado no trabalho todos os dias, estava cansado de não ter grana e um tédio começou a tomar conta da minha rotina. Se eu não estivesse namorando, trocaria a passagem do voo para a semana seguinte, satisfeito por tudo o que já havia vivido.

Como eu disse no Capítulo 22 deste blog, o planejamento e o jeito que você vai optar por gastar o seu dinheiro é única e exclusivamente sua responsabilidade e sua opção. Temos a facilidade de viajar por preços ridículos  mais baixos que no Brasil e conhecer países vizinhos em finais de semana? Sim. Mas quando a verba é curta, cabe a você saber como gastá-la. Eu abri mão de sair, de comer em restaurantes, de gastar com cerveja, etc., procurando economizar e usufruir de uma maneira melhor, no caso viajando. E é o que farei até o final deste intercâmbio. Mas chega uma hora que, com o perdão da palavra, dá no saco não ter um euro no bolso e viver apenas para se sustentar (com dinheiro de sub-emprego ainda por cima).

Entendo o sub-emprego da seguinte maneira: como um MEIO, e as viagens e o sustento como um FIM. Sempre compreendi ele como uma facilidade durante um período, o qual nos planejamos. Mas, ficar aqui em Dublin, vivendo mais tempo, fazendo trabalhos braçais e recebendo pouco por isso, realmente vale a pena? Pode ser que para alguns, sim. Depende do que você quer para a sua vida. Eu acredito que já estou numa idade e numa fase que quero voltar ao Brasil, ter melhores oportunidades e começar a construir uma carreira, agora muito mais maduro e certo de minhas escolhas. Além de usar toda a bagagem que esta experiência me proporcionou. 

Não é fácil colocar um ponto final, e sem dúvida nenhuma uso o meu lado totalmente racional neste texto que vos é escrito aqui, bem como na minha decisão. Terei eu feito a escolha certa? Abrir mão desta qualidade de vida e desta experiência agora? E se... 


Posso ter inúmeras questões e inúmeros "e se...", mas estou certo de que este ciclo está se fechando, e eu procurarei dar a ele um fechamento sensacional.

"Every new beginning comes from some other beginning's end"

Dito isso, comecem a assar a carne e tocar um samba... Fé em Deus, Fé na Vida! Vamô com tudo!

Thiago "Tôca" Santos

26 comentários:

  1. Pô, mano. Que texto cheio de sentimento. So far seu texto mais profundo (nao que os outros nao sejam).

    Cara, se ta na hora de voltar, volta. Isso ae, sem medo. Se puder voltar, volta. Toda boa sorte do MUNDO!!!

    E sim, ngm merece ficar aqui com esses trampinhos ruins só pra poder dizer 'estou aqui'. Vc definiu bem isso como 'meio'.

    O foda é ver gente que vivo no 'meio' e nunca chega no 'fim'. Prefere usar o 'meio' pra gastar no pub.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, bem por aí mesmo. Não é fácil, e estou cagand... de medo, mas vamos em frente. Valeu pelo comentário, grande abraço, Rick!

      Excluir
  2. Baita texto, pra variar.
    Não tenho muito o que comentar, nunca passei por isso. heheh
    Quando voltar vê se dá uma passada aqui, né brow?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certeza, chegando aí é Tóis! Valeu, mano! Bjo no popô!

      Excluir
  3. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, meu!

    Eu entendo TOTALMENTE você, Thiago. Esse negócio de trabalhar pra se sustentar no mês seguinte é foda - tô vivendo assim desde que cheguei - e olha que não fiz nenhuma grande viagem como você nem nada!

    Se não fossem as aulas particulares, eu já teria pedido ajuda pra minha mãe - e isso é a última coisa que a gente quer fazer aqui, né? Complicado.

    É foda viver de "sub-emprego" pra pagar as contas e quem sabe, com sorte e perseverança, viajar num feriadinho. Tem quem goste, tem que faça porque "precisa", tem que faça porque não quer ir embora, tem quem fique de saco cheio, enfim...

    Eu te desejo toda a sorte do mundo!

    Mas a pergunta que não quer calar: e a namorada? :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será um dos próximos capítulos. Ainda estou me preparando para escrevê-lo... Obrigadaço pelo comentário! Bjs, Bá! Até domingo ;)

      Excluir
  4. Respostas
    1. Grande, Poró! Valeuzaço pelo comentário. Não fazia ideia que você lia também o blog. Fiquei felizão! Grande abraço!

      Excluir
  5. Estamos te esperando de braços abertos e com aquele rango esperto!! Raquelzinha tem q conhecer o tio Tôca logo!! beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estou sentindo o cheiro daqui! E fala pra Raquel que o Tio Tôca ta na área logo menos! Bjs, Lu ;)

      Excluir
    2. É bom trocar as fraldas da Raquel então. Pra estar sentindo o cheiro do outro lado do Oceano a coisa tá feia!!! :p

      Excluir
  6. Belo texto! Maduro, consciente e sereno. Assim é você hoje!
    Mas ainda temos que quebrar tudo por aí, hein?!?! rsrs
    ;)
    Bjs, Xuxu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos quebrar TUDO aqui, Xuxu! Você e o Maximus venham com energia dobrada, rs! Bjs, saudades ;)

      Excluir
  7. Cara, certa vez a Nelma me disse lá em Campinas que amar é estar perto. Serei egoísta e estou bem tranqüilo em dizer que vou gostar de te ter perto. Ok, nem tão perto assim, mas mais perto. Sabes da importância que tu tens pra mim e pros nossos demais amigos. Então seja bem vindo de volta, pois uma etapa importante se encerra, mas pessoas que te amam estão aqui te esperando de braços abertos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu brother, mensagens assim amenizam as dificuldades e dão força para enfrentar os futuros medos que vem pela frente. Com pessoas ao meu lado como você e a turma, me sinto mais forte. Obrigado! Bjs, Mano! Fique com Deus!

      Excluir
  8. Um grande abraço estimado Tiago. Que experiencia cara, que oportunidades virão e que Deus misericordioso vai continuar lhe abençoando. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras, P. Kracke! Fico felizão pelo comentário! Grande abraço, se cuida e fique com Deus!!

      Excluir
  9. Irmão, você já fez uma escolha que pelo que vejo em seus posts deu MUITO CERTO, que foi a de viver essa experiência na Irlanda. Assim como a primeira decisão, a segunda com certeza trará coisas maravilhosas na sua vida, simplesmente porque é você. Vem que tem um monte de pessoa que te ama aqui...

    Vem pra ca... bunitão!!!
    http://veja.abril.com.br/blog/bbb/files/2011/03/bial12.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu irmão, meu parça... Sempre presente nesta viagem em pensamento! Obrigado pelas palavras, pela força, pelas dicas e pelos ensinamentos! Tô indo, deixa eu só me despedir do pessoal! Rs... Bjs, brother! E prepara a cerveja...

      Excluir
  10. Adoniran esta a sua espera, traga a musica celta que nós já vamos compondo seu samba!!! Vem com Deus!!!

    ResponderExcluir
  11. Li seu post depois de ter postado a respeito dos meus motivos para voltar (aliás, postei hoje) e a gente meio que falou a mesma coisa! É como diz a música "To everything, theres a season and a time to every purpose under heaven"... Entender e aceitar o fim de um ciclo faz parte do intercâmbio!
    Se te ajuda, eu não me arrependi de ter voltado, apesar de sentir falta da liberdade e independência que eu tinha morando nesta ilha! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei de ler o seu post e fiquei impressionado com o tanto de similaridades. Obrigado pelas palavras e pela força. Faremos um "café dos blogueiros" em SP também! Bjs, Bia ;)

      Excluir